Blog O que é marketing? Confira o guia completo 2022

O que é marketing? Confira o guia completo 2022

Ilustração para mostrar Estratégias de marketing digital

O conceito de marketing, especialmente o digital, está na boca de todos os gestores que passaram ilesos pela pandemia ou que sofreram em algum nível mas conseguiram se posicionar rapidamente.


No entanto, essa área vai muito além de divulgar produtos ou serviços. Trata-se de entender como a marca é percebida pelo mercado, de modo a modificá-la e otimizá-la dia após dia para gerar resultados mais relevantes de acordo com os seus objetivos e propósitos.


Compreender essa diferença é fundamental para quem busca conquistar relevância e autoridade diante da concorrência. Com isso, criamos um conteúdo exclusivo para que você compreenda em detalhes o que é marketing. Confira o guia completo 2022.


Boa leitura!


Que se define marketing?

A área da publicidade e propaganda possui inúmeras funções que vão além do conceito de divulgação de determinado bem de consumo ou serviço. O marketing é mais uma das abordagens dessa área, e é tão complexo quanto.


Muitos acreditam que esse conceito está solidificado, porém mesmo os especialistas ainda não chegaram a um consenso sobre o que significa na prática. Afinal, no mundo empresarial o que diferencia as marcas, na verdade, é a maneira como elas enxergam essas definições abstratas de modo mais benéfico para si.


Segundo Philip Kotler, chamado de pai do marketing, essa é uma mistura entre ciência e arte de criar, explorar e entregar valor ao cliente com algum tipo de lucro.


Já, para o Chartered Institute of Marketing, é identificar e antecipar as necessidades do público-alvo, assim como Kotler, de maneira lucrativa. 


Outra visão que está muito mais próxima do senso comum, é de Theodore Levitt em sua obra Miopia em Marketing, como o conjunto de ações direcionadas à conquistar e fidelizar o cliente.


No entanto, todas elas apresentam um recorte do que esse conceito significa na prática. A American Marketing Association (AMA), de tempos em tempos, consulta seus filiados para chegar a uma definição mais próxima da realidade prática e, conforme a última consulta aprovada em 2017:


  • Marketing é o conjunto de atividades de instituições com processos para criar, comunicar, entregar e trocar ofertas que agregam valor ao cliente, seus parceiros e a sociedade em geral.


Saiba a função do marketing

Muitos gestores não gostam dessa abordagem, porém, é preciso compreender as definições e assimilá-las para tirar o máximo proveito desse campo de estudos, que na verdade, serve para entender o ser humano enquanto membro de uma sociedade de consumo.


Por que algumas empresas conseguem conquistar milhões de clientes enquanto outras não saem do lugar?


Preços altos? Dificuldade em comunicação? Produtos inadequados? Baixa adesão do mercado?


Todas essas possibilidades existem, e acredite, o marketing está de olho em todas elas. Parafraseando Kotler e a AMA, podemos dizer que a função do marketing é entender para atender.


A publicidade se encarrega de divulgar os produtos que dizem ao mercado o que a marca é e como ela gostaria de se posicionar e ser vista. Porém, o marketing é muito mais sobre o que podemos dizer sobre os clientes.


De volta ao século XIX, quando a revolução industrial estava a todo vapor, a publicidade era totalmente focada em produtos e guerras de preços. Afinal, um público maior foi para as cidades e conquistou poder de consumo.


O mundo mudou, e com quase todas as pessoas podendo consumir, as empresas precisam se diferenciar. Para isso, o marketing gera dados que ajudam as empresas a tomarem melhores decisões em vários campos.


Na área comunicacional, nas estratégias de vendas e até mesmo no seu ritmo de inovação.


Afinal, de nada adianta uma publicidade redonda, que atende todos os aspectos técnicos e que leva milhões de clientes ao seu negócio, se a equipe de vendas não é capaz de convertê-los e fidelizá-los.


Marketing e vendas são duas áreas distintas, porém, estão intimamente ligadas, e a segunda é altamente dependente das informações geradas e coletadas pelos esforços da primeira. Ter uma rede social lotada não é um sinônimo de sucesso no campo do marketing. Mas engajar essa base, sim. Percebe a diferença?


Como o marketing ajuda a conquistar clientes?




Até aqui você compreendeu que marketing é muito mais do que divulgar alguma coisa. É também sobre a resposta que a sua audiência dá para essa divulgação.


Inúmeros filósofos e intelectuais afirmam que a nossa sociedade muda justamente em função do marketing, mesmo antes de a palavra ter sido criada. Isso acontece porque ele existe para atender necessidades e demandas, mesmo que os próprios consumidores ainda não as tenham identificado dentro de si.


Um exemplo emblemático explorado no livro O poder do Hábito, é o conjunto de ações da empresa de varejo americana Target.


Após criar um banco de dados com informações de todos os seus clientes e de seus hábitos de consumo, a marca passou a enviar materiais publicitários cada vez mais segmentados. Até que em um belo dia, enviou um catálogo de produtos de maternidade a uma adolescente.


O seu pai ameaçou processar a empresa, eles pararam de enviar esse documento para a família. O tempo passou, e ela realmente estava grávida! A empresa descobriu antes da própria garota.


Isso acontece pois o ser humano é mais previsível do que gostaria. A partir da análise dos dados obtidos com as suas campanhas de marketing, é possível criar produtos que atendem as demandas do seu público, além de identificar o melhor momento para enviar as ofertas.


Perceba como essa empresa quase trocou os pés pelas mãos ao enviar um circular antes da hora. Portanto, é preciso ter em mente que os dados são a espinha dorsal do marketing, mas a arte e a publicidade são o restante do corpo.


A importância do marketing para as empresas

Quem não é visto não é lembrado!


Poderíamos encerrar com esse clichê, mas como você já deve ter compreendido, marketing é muito mais do que a simples divulgação de um produto.


No entanto, certamente esse é um dos pontos mais importantes dentro do tema. Afinal, mesmo que o seu produto seja o melhor do mercado, a sua empresa fracassará se não encontrar o público-alvo correto no momento adequado.


O marketing tem como principal foco desenvolver soluções e entregá-las aos clientes. Porém, acima de tudo, o que ele está fazendo é divulgar a marca.


A sua solução, ou aquilo que você faz, é o que define o que é a sua empresa. Portanto, além de produtos inovadores e serviços de alto valor agregado, a função do marketing é criar uma narrativa para que a marca se fixe na memória dos clientes de maneira permanente.


Empresas que não investem na área podem até vender e conquistar um público fiel, mas dificilmente se mantêm competitivas em um mercado cada vez mais dinâmico.


Você já parou para pensar o que faz uma pessoa gastar 10 mil reais em um celular quando existem alternativas com as mesmas funcionalidades por um quinto do preço? Muitos podem dizer que é apenas o status que o produto confere. Porém, é muito mais do que isso.


Essa sensação de status é criada justamente com uma narrativa convincente desenvolvida por uma marca inovadora. Perceba que a divulgação pode, além de aumentar o seu volume de vendas, impulsionar exponencialmente o valor dos produtos.


Paralelamente, com a ascendência das redes sociais, os clientes modernos buscam conexões cada vez mais profundas com as marcas que consomem.


Eles querem conhecer os bastidores, processos produtivos e até mesmo quem são as pessoas que fazem a magia acontecer.


Compreenda que o ponto mais importante a ser compreendido é o poder que o marketing tem de contar histórias. Essas histórias colocam a sua marca em um local privilegiado na mente dos consumidores.


Estar no primeiro lugar dos buscadores ou ter um perfil lotado de seguidores é algo desejado por todos no mercado, mas estar no coração dos clientes não tem preço.


Quem estuda marketing?

Com a evolução do mercado consumidor, é natural que as empresas precisem se tornar cada vez mais especializadas, assim como exigir profissionais com capacitações mais segmentadas.


Atualmente existem cursos universitários focados em marketing, assim como extensões e MBAs em marketing digital. Esse é um caminho sem volta. A graduação é uma maneira de se envolver completamente nesse universo, mas não é uma regra.


Na verdade, o marqueteiro é o profissional da comunicação, ao mesmo tempo que um estrategista de negócios. Ele compreende os movimentos do mercado e consegue criar peças publicitárias que atendem essas necessidades, divulgando produtos que solucionam problemas reais.


Conforme definimos anteriormente, é uma mistura de ciência e arte. Sem os dados, as decisões são aleatórias e sem fundamentos baseados na realidade, mas sem o componente artístico, se torna algo mecânico que não convence ninguém a tomar uma atitude.


Paralelamente, o marketing é uma das áreas que se atualiza com maior velocidade, impulsionada pelo movimento digital.


Com isso em mente, é evidente que quem estuda marketing é a pessoa que não tem medo de desafios, que sabe recalcular as rotas caso perceba que tomou uma decisão equivocada, e também está sempre atualizada para compreender o que o mercado e os seus clientes precisam para serem satisfeitos.


Na verdade, existe até mesmo uma discussão sobre o termo marqueteiro. Alguns linguistas defendem que esse profissional deve ser chamado de mercadólogo, aquele que estuda o mercado.


Ou seja, não são apenas os comunicadores que devem conhecer essa área em profundidade. Os gestores, líderes de setores e estrategistas de empresas precisam estar atentos a essas transformações se quiserem gerar resultados cada vez mais relevantes e consistentes.


Atualmente todas as áreas precisam dessa ciência para criar e entregar valor. Sabe os políticos que você assiste na televisão e que mentem na cara dura? Existe uma equipe de marketing altamente capacitada para identificar o que é bom e o que é ruim para a imagem desse político.


Da mesma maneira, sabe as cores pastéis e os macramé que estão em alta na arquitetura contemporânea para apartamentos? Tudo isso é resultado de um esforço de marketing.


Compreenda que essa área não tem compromisso com nada. O marketing existe para fazer três coisas:


  • Falar o que a marca precisa comunicar;
  • Entender como o cliente quer ouvir;
  • Saber a hora de comunicar.


Principais tipos de marketing



Podemos dividir o marketing em infinitas categorias, afinal, é uma questão de definição que muda constantemente. Na prática, todas as empresas e pessoas usam mais do que um tipo para gerar os resultados que acredita serem essenciais.


A primeira divisão, e mais básica, está no marketing offline e no marketing digital. O primeiro é aquele praticado nas ruas com panfletagem, outdoors e carros de som. O segundo, acontece o tempo todo na internet mesmo que não estejamos prestando atenção.


O marketing de conteúdo certamente é o mais importante de todos. Com conteúdos ricos e que geram valor para uma audiência, uma marca consegue crescer e se tornar relevante para o seu público-alvo. Paralelamente, esse marketing é um veículo para outras metodologias, como o SEO, anúncios pagos e divulgação em redes sociais.


Afinal, não tem como configurar uma palavra-chave sem ter pelo menos uma frase para incluí-la. Ou ainda, não faz sentido criar um perfil em redes sociais sem conteúdo para que a sua base se engaje.


Paralelamente, o Inbound Marketing é o mais interessante a ser analisado. É aquele que está na nossa rotina de modo tão intrínseco que não percebemos. Pesquise algum termo técnico que não esteja relacionado a um produto propriamente dito, como dicas financeiras ou economia doméstica.


Saiba que o primeiro resultado da página de buscas pode ser diferente para cada pessoa. Afinal, os algoritmos entregam conteúdos altamente segmentados de acordo com o histórico dos usuários. A página que está em primeiro lugar, é aquela que domina o inbound marketing e consegue atrair leitores para si em detrimento da concorrência.


Mesmo que não tenha um produto ou serviço associado, todas as páginas estão vendendo, no mínimo, a sua autoridade.


Por fim, não podemos esquecer do marketing de vídeo, que é um dos mais importantes atualmente. Com o crescimento dessas plataformas digitais, como Instagram, YouTube e TikTok, empresas acabam se tornando uma espécie de entretenimento para os seus clientes.


Assim, é fundamental pensar em estratégias que favoreçam algum grau de conexão com o público-alvo. Quando esse objetivo é atingido, realizar vendas é apenas questão de tempo.


Tendências de marketing

Conforme afirmamos, o marketing está mudando o tempo todo. Algumas metodologias são tendências para 2022, porém, as outras continuam válidas e devem ser utilizadas de maneira concomitante.


Um dos pontos mais importantes a serem analisados é justamente a descentralização das empresas. Isso significa que os processos e estratégias não precisam mais ser tão centralizados para gerarem resultados significativos.


Por exemplo, hoje em dia é muito barato comprar uma estratégia de marketing para a sua empresa. Porém, você é o responsável por gerar conteúdo. A RedaWeb é campeã em criação de materiais para marketing digital, e você pode economizar muito tempo e dinheiro ao terceirizar essa etapa do processo.


Esse exemplo ilustra como as empresas podem começar a assumir o seu próprio marketing, reduzindo a necessidade de contar com agências especializadas que consomem grande parte do caixa.


Nessa mesma linha de raciocínio, podemos compreender como o cliente está se tornando mais autônomo. Ele busca tomar decisões por si só, o que significa, investigar mais antes de fechar um negócio, o que favorece estratégias digitais que focam em um público-alvo específico.


Se você precisasse de uma cirurgia no coração, escolheria um cirurgião cardíaco ou um cirurgião geral? Certamente iria com a primeira opção.


Pode parecer um exagero, mas quando a sua estratégia foca em um ponto diferencial em relação às outras marcas, ela se torna uma autoridade.


Compreenda que hoje em dia nenhuma empresa vende para todo mundo, e sim para o seu campo de influência que é cada vez menor e mais engajado.


Estratégias de marketing

O conceito de estratégias de marketing é muito mais vago do que parece. Afinal, são inúmeras as metodologias que podem ser utilizadas para gerar resultados consistentes.


Essas estratégias são o conjunto de ações e processos que uma marca planeja e executa para atrair clientes, coletar dados e gerar vendas. Cada uma possui a sua maneira de enxergar o mercado, portanto, uma estratégia diferente dos seus competidores.


O marketing de conteúdo por textos, por exemplo, faz muito sentido para um blog literário, concorda? Porém, o efeito não é o mesmo se o seu nicho de atuação é o de e-sports.


Por outro lado, perceba que essa criação de conteúdo é imprescindível nos dois casos, em uma é menos, e na outra é fundamental. As estratégias de marketing compreendem a necessidade de cada negócio.


Uma estratégia de redes sociais é certeira quando queremos nos comunicar com um público jovem e que usa esse espaço para influenciar, ser influenciado e tomar decisões de consumo.


Já para um público de faixa-etária mais elevada, vídeos e conteúdos altamente detalhados são fundamentais, o que não exclui as mídias sociais.


O marketing de relacionamento é outra estratégia que costuma gerar os melhores resultados em todos os cenários. Trata-se de a marca se colocar como uma amiga do cliente, e não como uma mera fornecedora.


Tenha em mente que o consumidor de 2022 quer um relacionamento real, e não apenas uma troca de dinheiro por produtos.


4 P’s do Marketing




Philip Kotler popularizou o conceito dos 4 P 's do marketing como uma maneira de sistematizar a elaboração de uma estratégia assertiva, tanto no sentido comunicacional quanto no de desenvolvimento de produtos. Essa é a uma condensação de:


  • Preço;
  • Praça;
  • Produto;
  • Promoção.


O preço é evidente. Trata-se de quanto custa o produto, porém, pode ser um campo de grande relevância para qualquer negócio. Afinal, quanto mais valor você agrega, mas pode cobrar sem afastar o cliente. Pense no celular de 10 mil reais!


Isso não significa entrar em uma guerra de preços, e sim, entender o quanto o seu público-alvo está disposto a pagar pelos seus produtos.


Outro ponto que muitos não dão a devida atenção, é a praça. Ela diz respeito a onde o seu produto é vendido. Pode ser uma loja física, e-commerce ou até mesmo vendas por telefone. Mais uma vez, depende da maneira como você quer ser visto pelo seu cliente.


Se você optar por uma loja física, o layout, as cores e a arquitetura do lugar importam. Para a internet, a usabilidade do site é o principal fator. Cada praça possui os seus requisitos e atrai diferentes públicos.


O produto é o que você oferta. Não nos referimos apenas ao bem de consumo, mas às experiências proporcionadas por ele. Aqui, é hora de explorar os benefícios que o cliente experimenta ao comprar da sua marca e não da concorrência.


Por fim, a promoção é sobre a divulgação do produto e da marca. Conforme mencionamos, cada praça possui a sua melhor estratégia de comunicação. De acordo com a faixa de preços dos seus produtos, você está criando um filtro de consumo, então, a linguagem deve se adequar em igual medida.


Exemplos de marketing

Existem inúmeras empresas nas quais você pode se inspirar para elaborar as suas estratégias e até mesmo os seus conteúdos. Note que o que todos os exemplos têm em comum é a capacidade que essas marcas têm de entender o seu público.


Uma das que possui maior relevância atualmente, é a Netflix. Ela conversa diretamente com os seus clientes via Twitter, a rede social dominada por jovens, justamente o público-alvo. A sua linguagem é informal e recheada de memes e piadas que ajudam a criar uma conexão.


A Coca-Cola é um exemplo emblemático. Existe um problema mercadológico chamado de paradoxo da Pepsi. O fato é que, colocando esses dois refrigerantes lado a lado, o consumidor de olhos vendados, na maioria das vezes, escolhe a Pepsi, mas ao conhecer os rótulos, fica com a Coca-Cola. Isso é fruto de décadas de marketing altamente assertivo direcionado às famílias para criar uma memória afetiva dos consumidores.


Ainda, para irmos diretamente ao marketing de conteúdo, temos o maior case de sucesso no Brasil, a multinacional Nestlé. Na década de 1920, quando a empresa chegou ao país, não conseguia fazer os seus produtos deslancharam.


A solução: Imprimir receitas dos clientes nas embalagens! A Nestlé criou essa conexão tão profunda com as donas de casa daquela época, que rapidamente conseguiu colocar todos os seus produtos em todos os mercados ao redor do Brasil.


Conclusão

Note que cada empresa possui diferentes estratégias para se comunicar e se conectar com os seus clientes. Quanto mais você entende com quem está falando, mais assertivas são as suas peças de comunicação e mais acertados serão os seus produtos e serviços.


O marketing muda diariamente, mas os seus princípios são imutáveis. O conteúdo continua sendo poderoso para engajar e criar uma base fiel de clientes.


A RedaWeb é especializada nesse tipo de produção, e podemos ajudá-lo a dominar o seu nicho para que a sua empresa se torne uma autoridade no meio.


Acesse a nossa página para conhecer os planos que oferecemos.


Artigos relacionados.

Ver mais artigos
aida-atencao-interesse-desejo-acao-o-que-e-e-como-utilizar-o-metodo-na-pratica guia-basico-sobre-marketing-digital saiba-o-que-e-autoridade-de-pagina
Whatsapp
Ligue grátis 0800 750 5564
Ligue grátis 0800 750 5564